EPIDEMIA DA CRISE INSTITUCIONAL

EPIDEMIA DA CRISE INSTITUCIONAL

TAL & QUAL (01)
EPIDEMIA DA CRISE INSTITUCIONAL

Com este artigo de hoje, inicio uma nova rubrica: “TAL & QUAL”.

“STP DE MAL A PIOR” fica para trás. Novo Ano, novos assuntos e nova maneira de abordar os conteúdos.

Octávio Bandeira escreveu num dos seus mais recentes trabalho nas redes sociais, que o «País STP esteve em chamas», que «continua em chamas» e que o «Presidente da República, o garante da Constituição, não fala aos Santomenses», e pergunta: «Será que quem vai salvar o País é o povo, senhor Presidente?». Termina desse jeito a sua indignação.

Dei uma valente e sonora gargalhada. Desculpe-me amigo Octávio. A piada é que tenho recebido muitas mensagens em privado, fazendo-me esses tipos de abordagens.

Octávio Bandeira – Povo são-tomense – entendam uma coisa muito simples: o Presidente da República não é culpado de nada!

Evaristo de Carvalho nas campanhas presidenciais/2016 já tinha promulgada e sentenciada a sua primeira grande decisão: “assino só”. E ninguém deveria queixar-se disso! Acho eu. O homem até foi determinantemente verdadeiro e franco.

“Assino só” e fim do papo. O resto que se desgrace… que avarie ou se escangalhe. Problema vosso. Nem estou aí. Que se matem!

Amigo Octávio. Essa vai ser, durante os próximos quatro anos, o pai-nosso dos que não concordam com o Presidente.

O PR apenas foi sensato com as suas convicções. Tinha avisado e decretado, mesmo antes de ser eleito presidente: «tudo que vem do governo ou da Assembleia… assino só. Não bloqueio nada. Conheço o primeiro-ministro e confio nele. Assino só e de olhos fechados». Foram essas as suas palavras, ditas, reditas e reeditas nos comícios e repetidas vezes sem conta, tornando o “assino só” numa espécie do seu tema, seu lema, do seu marketing político, a sua logomarca, o seu jingle e até do seu slogan da campanha.

Foi uma espécie de nova erudição ou doutrina se quiserem. Uma nova forma de estetizar e de farolar as campanhas políticas. Verdade verdadinha é que o seu povo gostou, o seu povo apoiou, o seu povo aplaudiu e o seu povo votou. Isso, meus amigos, doa a quem doer, também é o terlintar, o tintirrim e o azurzir da democracia. Agora… os que não concordam vão ter de aguentar. Vão ter de resistir. Vão ter de suportar. Vão ter de tolerar e de aturar. É o preço da democracia. Costumam dizer isso, né?

“ASSINO SÓ”, foi decretado por ele. Foi promulgado e evangelizado por ele. Foi sentenciado e catequizado por ele. E foi assim que iniciou a epidemia da crise.

Consegues amigo Octávio e todos os outros… desevangelizar ou descatequizar esse jeito do PR? Conseguem atravancar, barricar e expurgar os preceitos, os ditames, as normas e os modelos concebidos pelo PR, e seguidos e apoiados por milhares de partidários seus – os mais cegos, os menos inteligentes, os mais inteligentes, os mais oportunistas que encetaram e estão nesse jogo, apenas para preservarem os seus benefícios, os seus destinos e os seus tachos? Consegues amigo Octávio combater essa vontade dos ex-indignados da nova epiceia do embrionado messias?

«O que há!? Já vos avisei: assino só e não me chateiem. O tempo é outro. Tudo mudou». Ahahahahaha. O PR deve ter dito isso ao Jorge Amado e a Elsa Pinto no último encontro que tiveram no Palácio. Imagino a irritação.

Vejam lá. Os deputados na oposição dizem sempre: “nós também somos os legais representantes do povo”. E é verdade.

Mas… o Presidente não será?! É essa pergunta que cabe a todos nós fazer!

Jorge Amado na entrevista, depois de uma visita solicitada ao PR no Palácio “Cor de Rosa” e acompanhado de Elsa Pinto, disse a TVS que o PR os disse que o “tempo mudou”. Que os tempos “são outros” e que seria bom “adaptarem-se aos novos tempos”. Ahahahahaha. Mato-me a rir com tudo isso.

O líder parlamentar do MLSTP/PSD deveria ter dito ao Presidente da República que o “tempo mudou sim, mas… para pior. Que o tempo não só mudou como pensa, mas que também ficou “diferente” até nos FUSOS. Que o tempo imutou e ficou mais… desigual. E que com o tempo dividiram o País em dois pedaços: de uma banda estão os conFUSOS (o Poder) e da outra estão os inFUSOS (a oposição) ”. Mas não disse.

Mas não preocupe caro amigo. O que parece ser “bom”, nesse momento, a tripla ADI/Patrice/Evaristo, poderá vir a ser “mau” nos próximos tempos. Claro. Se a oposição mostrar-se mais interessada em valorizar e organizar-se melhor, com lideranças mais eficazes, mais capazes e disposta a assumir um divórcio pacifico com o passado recente e apostar mais numa juventude mais dinâmica e mais bem formada. Desse jeito… francamente… que não acredito muito. E olhe que estou falando de uma área ligada a minha profissão.

Um Partido grande e histórico como o MLSTP tem e deve ter, uma boa liderança. Uma liderança autêntica e de tamanho do Partido.

Isso é como no futebol meus amigos: equipas como o Sporting, o F.C. Porto e o Benfica por exemplo, contratam sempre os melhores jogadores e os melhores técnicos. Procedendo e fazendo o contrário… ficarão sempre no segundo, terceiro ou quartos lugares. Essa é a lógica das lógicas e quem discutir e não concordar estará fora da lógica normal. Fora da lógica da concordância e da uniformidade.

Mas sobre isso – LIDERANÇA POLÍTICA – falarei no próximo capítulo.

Já estou como Sun Felela: “Só com Cristo”. Ahahahahaha. É mesmo para rir.

Força Presidente. Ensina-os como se governa. Os documentos são para serem assinados e despachados. Porquê tanta burocracia. As Leis que se lixem. A honra e o carácter que se lixe. Agora já não é o tempo de “cuá nón”. Isso ficou pra trás. Acabou. Agora é “nón cu nón” e fim de papo.

Já agora só mais um pedido ao senhor Presidente. Já que por hábito “assina só”, rubrique a sua própria demissão. O título do documento até poderia ser assim: “O Presidente Evaristo de Carvalho – o nosso ‘assina só’ – acaba por demitir… Evaristo de Carvalho”. Ahahahahahahah. Que coisa. Mato-me a rir com essas macacadas.

Já agora assistam um pequeno vídeo que preparei para vocês: Evaristo de Carvalho quando se demitiu na qualidade de Presidente da Assembleia Nacional. Engraçadas as suas contradições.

Evaristo até é um bom homem. É um apocalíptico benigno e… submisso. Um inexplicável misterioso!

Uma vez assisti uma valente bronca e troca de obscenidades, perto da antiga Feira de Ponto, entre um casal cabo-verdiano, separados há já alguns dias devido a uma contenda. Fartei-me de rir.
O marido discutiu com a esposa e essa, embora mais fraca, ripostou fortemente. Marido irritado expulsou-a de casa.
Passados duas ou três semanas o marido, morrendo de amor e de saudades não aguentou. Procurou pela antiga companheira e abordou-a perto da antiga “Feira de Ponto”.
Dizia o marido: «mi crê pá bó voltá pra casa» (quero que voltes para casa).
Respondeu a esposa: mi ka cré (não quero mais regressar).
Quando marido olha para os lados, notou que mais de duas dúzias de pessoas tinham os olhos fixos e cravados nele. Todos muito curiosos. Envergonhado e querendo dar-se de machão, disse a ex-esposa:
«Bai. Bó podi bai. Pamodi bó krica tá fédi! (Vai. Podes ir. A tua vagina cheira mal).
Esposa calma responde: «Ta fédi mas… ta dóci!». (Pode cheirar mal mas… tá bem doce). Ahahahahaha.

É um pouco isso meu caro Octávio Bandeira. O Poder tá fédi? (cheira mal?), mas o ‘povo cego’ é como a krica (catota): tá dóci (esta doce). Os seus votos contam muito meu caro amigo! Melhor mesmo é bendizer a krica dóci, embora… fédi e garantir os votos!

Antes que eu tenha de tapar o nariz e sonhar com uma dessas kricas fédi…

FUI
Carlos Borboleta

FAÇA AQUI O SEU COMENTÁRIO!

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.